terça-feira, 28 de junho de 2011

Vida longa a Valdemar!

Próximo à cidade de Ponte Nova, em Minas Gerais há um vilarejo, cuja população não chega a quinhentos habitantes. 

A casa mais antiga, de arquitetura rústica, foi construída por volta dos anos 60 e está localizada próxima de montanhas rochosas, lugar onde o vento sopra gelado e qualquer raio de sol é ansiosamente desejado por todos.

Da janela é possível observar a vegetação revestindo os morros como se fosse um imenso tapete. 
Rio Piranga, em MG
E em algum lugar não muito longe dali, existe um rio. Um rio largo, de cor verde esmeralda correndo silencioso por entre as colinas, alertando de maneira soturna, que aquilo ali se trata de um tipo raro de beleza, a qual devemos contemplar somente à distância.

Neste perfeito quadro bucólico, que dispensa qualquer retoque, mora um senhor que tornou-se praticamente patrimônio histórico da região. 

Seu nome é Valdemar Pereira. Ele nasceu em 13 de junho de 1910. Tem 101 anos!

Este homem de cabelos e barbas brancas viu o Brasil conquistar 5 títulos mundiais: 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002. Ele acompanhou pelo rádio de pilha, o homem ir à lua, ficou sabendo da invenção da lâmpada, do automóvel, do telefone... Ele simplesmente perpassou  duas Guerras Mundiais, além da época da Ditadura no Brasil!
Meu bisavô, 101 anos!
O homem a quem me refiro é meu bisavô.

A velhice chegou para ele, mas por incrível que pareça, o peso de mais de um século de vida não foi capaz de roubar-lhe o olhar atento, a voz vigorosa e principalmente a lucidez.

Ao ser questionado sobre o segredo para tanta vitalidade, a resposta é uma risada franca que contagia a todos. Embora não revele a ninguém o mistério de sua longevidade, me aventuro a dizer que tanto vigor se deve a uma dose diária da cachaça “Rainha da Lagoa”, hábito muito comum no interior de Minas.

Bem informado sobre movimentos culturais, históricos e políticos relacionados às cidades de Mariana e Ouro Preto, ele conta que chegou a conhecer ex-escravos e também senhores do café para os quais trabalhou por certo tempo.

Devoto de “Bom Jesus de Congonhas” - Santo que, segundo ele, o livrou da amputação de uma das pernas - caminhou a pé da cidade de Ponte Nova à Congonhaso equivalente a quase 100 quilômetros, para pagar promessa. 

Articulado para contar histórias, ele adora falar dos tempos em que ajudou a construir uma das principais estações de trem de sua cidade. Descendente de italiano, baixinho e de sangue quente, engrossa a voz e comenta que embora tenha trabalhado para “gente muito importante”, nunca levou desaforos pra casa. 

Você deve estar pensando: "Por que ela está falando tanto do bisavô?".  Bom, é porque neste feriado de Corpus Christi fui visitá-lo e percebi que ele estava muito bem, graças a Deus. 

E não é por nada não, mas por acaso me veio a lembrança de algo importante: ele é mais velho do que o próprio Corinthians! Isso é algo a ser levado em conta, ora bolas! Além do mais, quantas pessoas podem dizer que conheceram suas raízes? Eu conheci as minhas! 


É bem verdade que fiquei um pouco confusa ao conhecer minhas raízes e tentar compreender a árvore genealógica da família.

Veja só: Meu bisa é carioca, mas foi morar em Minas; meu avô (filho do meu bisa) é mineiro, mas foi morar em Mato Grosso, Meu pai é mineiro mas foi criado em MT e mudou-se para SP, eu sou natural de Mato Grosso, mas fui criada em São Paulo.  Aff! Só tomando uma dose de cachaça antes pra entender...

Mas, retomando o assunto "futebol", meu bisa também tem suas predileções esportivas. Em São Paulo é Santista. No Rio é Flamengo e em Minas é Atlético Mineiro, Uai! 

Viva a terra do pãozinho de queijo, da goiabada cascão, da comidinha caseira feita no fogão de lenha e  VIDA LONGA A VALDEMAR PEREIRA, patriarca da família!


11 comentários:

*-* GI *-* disse...

Olá prima... Adorei a materia sobre o nosso bisavô... parabéns o blog ta cada dia mais legal... bjinhossss

Luciene Almeida disse...

Gi,
Depois de conhecer um pouco mais sobre a história de vida do nosso bisavô tinha que homenageá-lo! Quem dera viver tanto quanto ele e ainda ter tanta coisa boa pra contar...

Ana Matos disse...

Estou encantada com seu bisavô...O grande motivo da longevidade é que ele não é torcedor do Corinthians.rs e sendo torcedor do Santos Futebol faz dele um homem joven.

Parabéns Sr. Valdemar percebo que o senhor é um homem de muito bom gosto.

Anônimo disse...

Viver igual nosso Bisa não é pra qualquer um. Um homem que vivenciou momentos históricos em nosso país...

A pergunta que ficou no ar: Como ele fez pra viver tantos anos? Bom, eu acredito que a boa alimentação foi muito importante, bom humor com os parentes e amigos e principalmente a FÉ no Nosso BOM JESUS DE CONGONHAS.

Parabéns vô pelo Centenário e "1". Fiquei feliz por ter te visto com tanta Saúde e Força!

De seu Bisneto... Well

Wellington Eugenio

David disse...

A vitalidade e lucidez deste senhor aos 101 anos é algo a ser estudado. Envelhecer bem e com tranquilidade é o que muitos desejariam.
Quem sabe ele passa a receita...

O mais impressionante é que ainda mantém os seus dentes naturais!

Não canso de admirá-lo.

Luciene Almeida disse...

Eu que o diga... Aos 30 já apresento sinais de desvairamento acompanhado de crises de hipocondria.
Agora, esse negócio da longevidade, é algo a se pensar...
Eu brinquei, mas pensando bem, pode ser mesmo a tal cachaça!
Ou será o fato dele ser Santista?
Pode ser também a personalidade forte. "Não levar desaforo pra casa" é uma boa forma de evitar doenças.

Anônimo disse...

Mensagem enviada para meu e-mail pessoal.
"Oi Lú tudo bem comigo e você? Não nos falamos a dias o que houve?
Li seu texto sobre sr. Waldemar e, que benção é ele não é mesmo.
Li também os comentários e ñ queria cair de bicão nessa conversa de família, mas devo mencionar que minha avó chegou aos 92 e tomava todos os dias um cálice de vinho moderado. Então se queremos chegar tão longe o melhor talvez seja seguir o exemplo. Mas com coerência, nada de começar o dia no primeiro boteco que encontrar hein? hehehe. Brincadeirinha.
Mas falando sério, o fato de não engolir desaforo pra depois ficar remoendo por dias em casa sem dúvida ajuda muito".
Muitos bjos!
Maria Elisangela B. Conceição
30/6/11

Luciene Almeida disse...

Tá vendo, Eli! O negócio é tomar uma pinga de vez em quando!

Kelly disse...

Parabéns aos seu bisavô acho que a nossa geração não chegara nem perto disto...

vanusa disse...

Oiee lu!!
nossa nao conhecia essa historia do seu bisa, homem de garra hennn...
desejo conhece-lo pessoalmente, se for como seu avo, é pessoa gente fina demais...
bjus prima.
att: vanusa Dornela

Luciene Almeida disse...

Pois é Vanusa, ele é mesmo um grande homem. Seria legal se pudéssemos visitá-lo juntas. Quem sabe Deus não reserva esta linda surpresa para nós, não é mesmo?
Saudades de você.
Abraço apertado.
Com carinho,
Lu