quinta-feira, 30 de junho de 2011

A modinha que agrega ou segrega?

Por Luciene Almeida
Já faz algum tempo que quero escrever algo a respeito dessa nova maneira de se comunicar e/ou se relacionar no século XXI. Refiro-me às  “redes sociais, que surgiram no Brasil em 2004 com a criação do Orkut. Hoje, ultrapassado pelos tops de linha: Facebook, Twitter, Myspace e afins.

Embora pareçam inofensivas e descoladas, a meu ver, as redes sociais tornaram-se um termômetro de popularidade, prontas para exterminar os verdadeiros relacionamentos, ultrajando-os com um novo padrão de comportamento, no qual o indivíduo abre mão de sua essência e passa a existir de maneira superficial.

Falando especificamente do Facebook - Rede social à qual recentemente me vinculei e não me adaptei - observei o seguinte: sempre tem alguém forçando uma integração ou socialização, principalmente com pessoas às quais acabaram de conhecer. O que evidencia uma carência afetiva escancarada, que dificilmente será suprida no cyberespaço.

Pense: Se já é complicado fazer amigos da maneira tradicional, imagine só pela Internet! Lugar onde cada um revela apenas parte de si... Aliás, nem isso, pois o que menos tem nas redes sociais são pessoas ponderadas ou resguardadas. Parece até um concurso implícito pra ver quem consegue ter mais projeção.


Clique aqui p/ ampliar!
Pode parecer contraditório da minha parte dizer isso agora, mas a verdade é que não vejo nada de errado em postar uma foto ou enviar um recado para um amigo que há muito não se vê. É saudável cultivar vínculos. No entanto, o que está acontecendo é algo muito diferente disso.

As redes sociais tornaram-se  vitrines  nas quais você pretensiosamente define o tipo de pessoa quer ser e escolhe também o tipo de amigo quer ter. E pior! Fazem exatamente a mesma coisa com você! É algo mais ou menos assim: “Ah... Esse cara aqui é médico? Ok. Vou enviar um convite pra ele!”. Como se comprassemos um tomate no mercado.

Aonde esse mundo vai parar?! E o que aconteceu com a boa e velha conversa pessoal? Sinceramente, estou pensando em ir embora deste planeta. Não que eu queira morrer! Longe de mim!

Mas, se por acaso, você conhecer alguém que esteja vendendo passagem só de ida pra a Lua, por favor, me avise. Acho que por lá terei mais sucesso em fazer amizades do que seguindo os novos métodos desta Era tão globalizada. Em todo caso, antes de ir, me informarei primeiro para saber se São Jorge já tem perfil criado no Facebook.

Sei que soa antiquado, mas, em tempos de redes sociais quem consegue ter pelo menos um amigo de verdade é rei! 
Ah! Coincidentemente encontrei um vídeo muito engraçado do Felipe Neto - "Não faz sentido - Mídias Sociais"

10 comentários:

David disse...

Defendo o fim destas redes sociais que acho uma bobagem sem tamanho!

Que tal mostrar fotos em álbuns físicos - daqueles antigos, mesmo -somente para as pessoas das quais temos uma certa afinidade?

Ainda sou adepto da boa e velha visita, do aperto de mão e do abraço.

Luciene Almeida disse...

Eu gosto de escrever cartas, mas a a escrita não acompanha a rapidez do pensamento... Será que se eu escrever cartas aos meus amigos eles responderão? Gostaria de fazer isso um dia...

David disse...

Para evitar o problema, você pode escrever no word e assinar embaixo..

Lila disse...

Não achei o texto antiquado. Acho uma pena o mau uso que fazem de ferramentas tão ricas como essas redes sociais. Pior é o modo como assassinam a boa ortografia. Ao contrario do que dizem acho que falta sim inventarem um ultimo botão: o de conversão para ortografia compreensível. Alguém ai pode me dizer o que quer dizer: Blz mlk? Naum vô hj pq to c frio? Tb ti amu e etc...
Acho que a utilização de abreviações é legal, mas quando esse uso é em excesso acaba se tornando um habito negativo.Pensar que os professores passam a vida ensinando o português para as pessoas acessarem essas e redes e maltrata-lo dessa forma. Concordo com o texto na integra com relação ao exibicionismo desmedido que tantos defendem como demonstração de personalidade. Continue escrevendo sempre.É muito bom que no meio dessa multidão de insensatos exista alguem que tenha a coragem de abordar esses temas. Adoro todos os seus textos. Um beijo

Luciene Almeida disse...

Eli,
Obrigada por acompanhar as discussões.É muito legal ter você por perto.
beijo,
Lu

Anônimo disse...

Já se foi aquele tempo que juntava-se uma galera (amigos) em casa, tomando um cafezinho e comendo um bolo para ver um album de fotos e relembrar os velhos tempos...

Quando surgiram os telefones, emails, redes sociais, entre outras ferramentas, começamos a perder o contato físico. Eu acho isso trágico, pois estamos a cada dia mais próximos da tecnologia e mais distantes das pessoas.
Tudo que é demais não é bom!

Gostei muito deste tema Lu. Está muito bom o Blog...

Um forte abraço!

Well

Luciene Almeida disse...

Well,
Falou tudo. Eu que sou nostálgica e adoro virar a noite conversando sou suspeita pra falar, mas, realmente sinto falta de momentos como os que você mencionou.
Atravessamos uma época complicada... Não dá pra ficar completamente alienado da tecnologia, mas que ela muitas vezes nos faz reféns da situação, isso é fato!

Dona Gigi disse...

É engraçado como á alguns anos atrás ninguém tinha acesso a essas redes sociais e todos eram felizes . Qual será o poder que elas têm ? Eu estou tentando me livrar delas , mais como a coca-cola estou viciada ainda não dá pra viver sem kkkkk será que existe tratamento ou algum remédio pra esse mal ?

Luciene Almeida disse...

Giane,
Não sou contra a utilização das redes sociais. O que me incomoda, de fato, é o excesso de exibicionismo e a banalização dos relacionamentos.
Embora não exista (ainda) remédio para a "dependência virtual", podemos resgatar velhos hábitos como a boa e velha visita, para não perdermos completamente o sentido da palavra afetividade. A sensação de abraçar um(a) amigo(a) que há muito não se vê, nunca será substituída por uma mensagem virtual(pelo menos não deveria).

Maria Cristina disse...

Concordo com suas palavras, e vejo muito de errado nessas redes sociais, apesar de estar em quase todas, procuro utiliza-las com o fim de ter noticias de velhos colegas que por um ou outro motivo não mantivemos o contato que gostaria!
Acredito que é esta a verdadeira função das redes sociais, mas como tudo no mundo de hoje, as pessoas não sabem utilizar corretamente, e ai...ai dá no que dá!
Além de desaprenderem a escrever, as pessoas desaprenderam a conviver!
E este será um sério problema!

Fica aqui minha opinião!hehehe

Saudade Lu!
beijos!